Ah, as compras

Estranho eu ter um blog pessoal pra falar das coisas que eu gosto e nunca ter escrito sobre minhas compras, não? Eu sou um tanto consumista e numa viagem as compras são sempre parte do roteiro. Tá, tem um post sobre a Sephora em Paris, mas não é nem um tiquinho do que eu trago pra casa.

Adoro comprar roupas – não só em viagens – e fiz a festa nas fast-fashion na Europa. Acho que entrei em todas H&M que passei pela frente. A Zara tem muita coisa linda e pra quem tá fazendo um tour em diversos países, a dica é comprar na Espanha, onde a loja tem os preços mais baixos. Cheguei a ver roupas com 20 euros de diferença.

A decoração da minha casa vem muito das quinquilharias que trago de viagem. Procuro sempre trazer algo dos lugares que visitei e que me traga lembranças especiais.

E que mulher não adora um lenço pra enrolar no pescoço? Trouxe vários da China, Tailândia, Bali e Marraquexe. A maioria dei de presente, mas sempre fico com um de cada lugar pra mim. Minha outra mania são as cangas, que depois de um tempo de uso não saem mais do meu armário, já que fico morrendo de medo de estragar ou perder alguma. Bora comprar mais? Não aumentam quase nada no peso da mala e em geral são bem baratos.

Eletrônicos? Adoro! Mas deixo a maioria pro meu namorado comprar. Ops, mentira. Tou sempre fazendo encomendas pra maninha que vai e volta da China.

E como carregar as malas? Um salve pras rodinhas!

ps.: meu namorado já tá apreensivo com a nossa ida pros Estados Unidos e o tamanho da mala na volta.

Anúncios

Ela brilha!

Por algum motivo obscuro eu ainda não escrevi aqui sobre um dos momentos mais emocionantes da viagem a Europa. Já falei o quanto era mágico ver a Torre Eiffel de vários lugares de Paris, mas deixei uma parte pra depois, ou melhor, agora!

No meio da primavera os dias já são loooongos e a noite só aparece pelas 22 horas. Então depois de aproveitar toda a luz natural ao ar livre e voltar pra casa pra se recompor, a programação noturna era basicamente comer.

Mas não podia deixar de ver a Torre iluminada… O local escolhido foi o Trocadero (excelente indicação do amigo de uma amiga) onde tem uma estação de metrô bem próxima com o mesmo nome. Este é um dos melhores pontos da cidade para vê-la, mas até chegar lá eu não tinha ideia do que realmente me esperava.

A Torre iluminada causa tanta emoção assim pra eu ter escrito aquilo na primeira frase? Pois é, sim!

Ela parece ainda mais imponente. Linda! Romântica!

Difícil saber o que é mais marcante, subir no topo ou vê-la à noite. Parece que não tem mais nada na cidade. Só a Torre Eiffel iluminadíssima e o feixe de luz azul girando sobre Paris.

Iluminada!

Eu estive lá durante a tarde

Tentando aparecer com ela

Eu já sabia que ela piscava, mas não sabia exatamente como, nem quando.

Foi exatamente a 1 hora da manhã, sem que eu estivesse esperando. Quase chorei de emoção! hehehehe Estava tentando tirar algumas fotos ainda e… tcharam! As luzes amarelas deram lugar a milhares de luzes brancas. Eu parecia uma criança, pulava de alegria.

Lindo! Lindo! Lindo!

Depois disso ela se apagou por completo, mas parece que ela pisca de hora em hora enquanto está iluminada e só depois da 1 hora da madrugada que se desliga até a próxima noite (bem no horário que eu estava lá).

Abaixo seguem umas tentativas de foto, já que não é muito fácil fotografar algo piscante, ainda mais em clima de euforia.

Aiai

😉

Toledo

As grandes cidades européias tem programação para vários dias e numa primeira vez em qualquer uma delas gastar o que você tem de mais precioso com deslocamento – que são as suas horas, parece uma verdadeira perda de tempo.

Toledo está aí para provar o contrário. Depois de tantos dias em cidades grandes, dependendo do metrô para conhecer os melhores pontos da cidade, quem sabe um lugar onde se chega a todos a pé?

Para chegar até Toledo é fácil, basta pegar um trem de Madrid e em meia hora tu estás na pequena e charmosa estação de trem da cidade. O interessante de Toledo está na sua parte antiga, no topo de uma colina, murada e muito bem preservada. E já que eu falei que era pra caminhar, o ideal é estar bem preparado. Caminha-se bastante mesmo e principalmente em subidas e descidas.

A chegada à cidade murada já é um encanto. Quem nunca sonhou em ver uma cidade medieval de verdade? E olha que eu acho que entrei pelos fundos. Meus amigos tem fotos da chegada à cidade por um lugar bem diferente. Eu achei lindos os portões, com uma ponte como caminho, de onde dá pra ficar horas fotografando. E aconselho ficar um pouco mesmo, a subida depois é um pouco cansativa.

Seria essa a porta dos fundos?

O segundo portão

Entre eles, uma bela paisagem

Olhando para trás no meio do caminho

Dentro dos muros a gente se sente em um filme. Muitas ruelas estreitas e prédios feito de pedra. As construções tem uma mistura de influências interessante. Ah, se eu soubesse um pouco sobre arquitetura… Aparentemente o local não se destina apenas ao turismo. Muitas casas ainda são residências mesmo.

A decoração também é medieval

E está em vários lugares

Algumas vezes mais discreta e charmosa

Imagine-se subindo essas ladeiras diariamente

Algumas vezes pode ser uma descida também

Caminhando pela cidade essa é a paisagem comum

Algumas vezes pode ser mais aberta

Podia ter errado o post e colocado aqui uma foto de Marraquexe

A Catedral de Toledo é o monumento mais famoso

A beleza da cidade está no conjunto, em grandes contruções e também em pequenos detalhes. Algumas esculturas chamaram a atenção. Um tanto quando bizarras, não?

Essa é até macabra...

E essa nem tão angelical

Desorganizando a bagunça

Já que nunca vou conseguir organizar…

O ano começou e tou colocando bem menos coisa que eu gostaria aqui no blog. Pra dar um gás, vou escrever mais uma vez sobre aquilo que der na telha. Sobre 2007, 2009, 2008, Brasil, China, França…

Se, por acaso, alguém, quem sabe, tenha alguma sugestão ou pergunta, pode mandar!

Pouca gente deixa algo nos comentários, mas vejo que o povo chega aqui de todos lugares do mundo, às vezes tendo pesquisado por algo que não escrevi direitinho, mas que posso ajudar.

E sobre meus planos pro ano? Mais um repeteco de praias no verão, um pulinho em Buenos Aireis, a primeira vez nos States e, se tudo der certo, ver a neve caindo em floquinhos cobrindo muitos telhados de branco, mas isso só no fim do ano.

“As boas” de hoje é que tou indo pra praia onde sempre passo ótimos momentos em SC, Guarda do Embaú, e que emiti minha passagem pra Califórnia. Beeem bom, né?!

beijos e bom finde!

Opera House

Chegando, de novo

Com outro foco na chegada a Sydney pelo ferry, mostro agora o símbolo e cartão-postal da cidade: o Opera House. O teatro fica na beira do mar na baía de Sydney e tem um formato inconfundível, super moderno. Quase não dá pra acreditar que foi projetado na década de 50.

Os diversos picos que imitam velas de barcos reluzem à distância. Pena que não dá pra sentir todo esse efeito por causa das nuvens carregadas, que teimaram em atrapalhar minhas fotos.

O lugar é palco para os mais diversos espetáculos e é possível conhecê-lo por dentro indo a um deles ou num dos diversos tours existentes.

Mairinha aqui foi só do lado de fora, que também tem seus atrativos. Além da vista pra baía e Harbour Bridge e do prédio em si, o lugar está rodeado de bares bem charmosos.

Opera House

Seria a frente?

Ops, passamos!

Mais de pertinho

Bem de perto dá pra ver o detalhe da cobertura do prédio. O que de longe parece branco liso, de perto dá a impressão de que são escamas. E grudadinho nas “velas” a gente vê as milhares de placas de cerâmica que criam essa forma tão incrível.

Debaixo