Uma caminhada para ser repetida muitas vezes

E essa é uma caminhada de quase 2 horas.

Eu garanto: vale muito a pena passar esse tempo subindo e descendo morro entra a Pinheira e a Guarda. Digo nessa ordem porque sempre fiz a caminhada começando pela Pinheira, na Praia de Cima, e terminando na Guarda.

Indo pelo canto direito da Praia de Cima tem uma trilha marcada no chão, a subida é leve e algumas árvores fazem sombra. Só que esse é só o começo e isso não vale pra todo o trajeto. Passa-se muito tempo sob o sol e o melhor é fazer o passeio logo no início da manhã ou já no meio da tarde.

Começando a subir o primeiro morro

Logo no início

Depois de dar tchau às praias de Baixo e de Cima, que antes da primeira descida de morro já sumiram, a natureza impera e só se escuta o som do mar e dos bichos até que… lá em baixo dá pra ver uma pequena praia com bar e tudo. A praia do Maço atrai não só aqueles que vão passar o dia, mas também vários corajosos que ficam acampados próximo ao bar, e é um excelente lugar para o primeiro mergulho do trajeto.

No caminho, subindo e descedo morro, não tem como evitar atolar o pé no barro. Em alguns lugares não existe trilha marcada e o melhor lugar nem sempre é seco, mas tanto faz ir de chinelo ou tênis. Só tome cuidado pois as “moradoras” da região deixam marcas pelo chão e não deve ser nada agradável pisar nelas.

Praia do maço

Companhias pra todo caminho e Floripa ao fundo

O segundo mergulho pode acontecer na Prainha, que nem é tão pequena assim, bem maior que a praia do Maço por sinal. Os surfistas adoram esta praia, já que tem bem menos gente no mar e fica bem protegida do vento. Quem costumar ir lá é o Paulo Zulu (as meninas procuram, mas quem sempre o encontra são os meninos que surfam). Daqui até a Guarda são só mais 30 minutos caminhando, só que ainda tem mais uma parada a se fazer.

A Prainha

O melhor de fazer a caminhada a partir do meio da tarde é que quando chega-se bem pertinho da Guarda, tá na hora do pôr do sol, motivo que vale parar e aproveitar. A vista de cima do último morro é imperdível. Dá pra ver os surfistas bem perto e o encontro do rio e do mar pelo ângulo contrário ao que se está acostumado.

Chegada perfeita no pôr do sol

Depois dessa parada ainda tem mais uma praia no caminho, a praia do Evori, mas que vai ficar pra um outro post, já que o sol já foi embora e não é tão seguro assim caminhar pelas trilhas à noite. 😉

ps. : na verdade a duração da caminhada pode ser menor do que eu escrevi no início, mas aí não daria tempo pra dar uns mergulhos, tirar fotos e curtir a paisagem e o pôr do sol como se deve.

Anúncios