China bem chinesinha

A chegada a China foi em Pequim (ou Beijing) e a expectativa era enorme. Foi minha primeira viagem a outro continente e fui ver minha irmã depois de mais de 6 meses longe.

Em muita coisa a constatação era a mesma: a China é bem chinesinha! Preconceito não é nada bom, e espero não estar passando isso, mas ver que a cidade, mesmo gigante, tem muito do que eu imaginava, foi legal a cada nova descoberta.

Claro que isso não quer dizer que eu só vi o que eu estava esperando, nada disso. Vou tentar mostrar pelas fotos o que eu estou querendo dizer agora.

Lanternas vermelhas

Lanternas vermelhas

Estacionamento de bicicletas e telhados cheios de detalhes

Estacionamento de bicicletas e telhados cheios de detalhes

Muitos guindastes

Muitos guindastes

Muito dourado e combinações, digamos, bregas

Muito dourado e combinações, digamos, bregas

Pros próximos posts: coisas menos óbvias 😉

Anúncios

Pode entrar e avaliar

O negócio é o seguinte, agora meus leitores podem avaliar meus posts.

Pra isso tem que clicar no título do post e acessá-lo. Direto da página inicial do blog não aparece. As mãozinhas indicando positivo e negativo vão aparecer no final de cada um e tu só precisar dar tua contribuição.

Ah, vou aproveitar e perguntar: qual o mais legal, as mãos ou as estrelinhas?

Nas páginas tem a mesma coisa. Avalia aí!

Eu, meu blog e os gadgets

O WordPress não tem tantos gadgets quanto o blogspot, mas tem suficientes pra eu analisar meus posts e visitantes.

Só esta semana vi que pessoas que estão no no Japão, na Bélgica, nos Estados Unidos, na Guiana Francesa, em Macau, em Portugal e na Espanha leram meu blog. Além de gente que está espalhada por todo o Brasil.

Ando percebendo que as pessoas gostam quando eu coloco link com referências aquilo que estou escrevendo, já que em geral clicam ali.

No início, grande parte das pessoas que acessavam, chegavam ao blog pelos links que coloco no twitter, facebook e orkut. Hoje em dia (nossa, parece que faz tempo, hahaha) a maioria chega aqui por resultados de pesquisas em sites de busca, com frases do tipo: “o que conhecer em montevideo”, “praia jimbaran” e “altar na ilha rapa nui”.

Nessas pesquisas aparecem perguntas de como chegar, quando custa ou o que é tal coisa… de uma maneira ou de outra, quando o assunto me interessa e eu sei responder, eu escrevo um post e tento ajudar este internauta que eu não sei que é e muito menos sei se ela vai voltar ao meu blog.

Mas o que me chamou a atenção hoje pela manhã foi a minha lista de categorias, que totaliza os posts de cada uma delas. A total escassez de posts sobre lugares que eu adorei conhecer e continuo querendo ir mais vezes me deixou surpresa. Vou corrigir isso logo, preciso escrever muito!!!

Montevideo multicolorida

Pertinho do Mercado del Puerto existem vários armazéns, que renderam fotos lindas num dia ensolarado. Eu adorei os cogumelos.

Montevideo08

Montevideo09

Montevideo10

A menina que roubava livros… e fotos!

Quando eu comecei a escrever o blog eu não parei muito pra pensar como ele seria, nem o que teria. Aos poucos ele foi tomando corpo e formando sua, digamos, personalidade.

Criei ele pra escrever pra quem quer que tenha vontade de ler, focando principalmente em viagens. Na verdade escrevo pra eu ter um registro dos lugares por onde andei e daquilo que eu gostei, e não para fazer propagando ou algo parecido. Fico feliz quando alguém gosta de algo ou concorda comigo. E quando recebo alguma pergunta relacionada a coisas que eu conheço, me esforço ao máximo para respondê-la.

Além disso, sendo um espaço meu e público, não achei legal ficar expondo a vida de outras pessoas, por isso raramente escrevo nomes de pessoas ou coloco fotos com elas.

Entretanto, quase sempre coloco a foto de outra pessoa. Pessoa essa que estava comigo naquele momento e lugar. Roubo a foto sem pedir permissão, na cara dura mesmo, mas com a certeza de que se alguém se incomodar com isso, vai me pedir pra tirar a foto ou colocar os créditos na boa!

Como foi bom conhecer Montevideo

Catedral na Plaza Matriz

Catedral na Plaza Matriz

Adoro cidades que tu sai com gostinho de quero mais, de voltar aos lugares que gostou e de ir aos que teve que deixar de lado. Na minha primeira ida a Montevideo, não tinha dado tempo pra curtí-la e ver como é legal. Simplesmente por uma questão de organização da minha cabeça, vou escrever sobre  o final de semana mais ou menos na ordem do que fiz por lá 😉

O vôo saiu de Porto Alegre já na madrugada de sábado e como o Uruguai já estava no horário de verão, chegamos ao hostel pelas 3:30. Hostel superbemlocalizado na Ciudad Vieja – primeiro ponto positivo –  do ladinho da Plaza Matriz, que atravessamos para fazer um lanchinho sem problema algum. A sensação de segurança faz com que tu gostes mais ainda do lugar, não?

Antiguidades na praça

Antiguidades na praça

9:30 da manhã todo mundo de pé! Na Plaza Matriz uma feira de antiguidades tomava conta do lugar seguida por uma outra de artesanato na ruazinha que vai até a Plaza Independencia. A Plaza Independencia, que marca o início/fim da Avenida 18 de Julio (a mais movimentada da cidade) tem como ponto alto a estátua e mausoléu do General Artigas – grande herói nacional.

Artigas

Artigas

O topo do prédio pode ser visto de vários pontos da cidade

O topo deste prédio pode ser visto de vários pontos da cidade

Após uma longa caminhada pelo Centro, pegamos um táxi de volta ao hostel e de lá caminhamos até o Mercado del Puerto para o almoço. Mais uma caminhada agradável pelas ruas da Ciudad Vieja, com prédios antigos, mas bem conservados e que mesmo sendo coladinho no porto, é seguro (pelo menos durante o dia). Ah, e o almoço? Escolhemos o tradicional El Palenque, que havíamos visto indicação em mais de um site. Em 7 pessoas ficou fácil pedir um pouco de cada carne e comer uma parrilla deliciosa com cordeiro, assado de tira, chorizo… Para acompanhar batata ao roquefort… nham nham, delícia! Depois de sair do almoço rolando fomos caminhando até… o Freddo! Tudo bem, a gente já tinha caminhado bastante e ainda bem que comemos o sorvete no sábado, porque no domingo tava fechado (que deceps).

Prédios na Ciudad Vieja com o porto ao fundo

Prédios na Ciudad Vieja com o porto ao fundo

A noite de sábado começou no tradicional Fun Fun, escutando um tango muy bueno 😉 Ah, claro que dava pra ir a pé até o bar, mas como não sabíamos fomos de táxi e depois voltamos caminhando e congelando. Para completar, muita ceva no hostel mesmo, se integrando com a galera, que sempre é o melhor de se hospedar em hostel.

Fun Fun

Fun Fun

Montevideo11

Uvita, a bebida tradicional no Fun Fun

O domingo foi curto, já que dormimos até 11 horas e pelas 14 já estávamos no táxi pro aeroporto. Com o dia lindo – o final de semana foi todo espetacular também nesse sentido – a pedida foi uma ótima caminhada pela Rambla, na beira do Rio (Mar?) da Prata.

A beira-rio uruguaia

A beira-rio uruguaia

Morro de amores

Você conhece Morro de São Paulo? Não, não fica em São Paulo, é na Bahia, e não é exatamente um morro, é uma ilha.

Conhece alguém que já foi lá? Eu já fui e conheço diversas pessoas que foram também. Todas voltaram apaixonadas.

Pôr do sol nas ruínas do forte

Pôr do sol nas ruínas do forte

De cima do morro

De cima do morro

Não é fácil dizer o que apaixona de verdade… se são os golfinhos, o pôr do sol, a vista de cima do farol, o mar quente, o banho de lama, o sossego da praça ou as festas na 2ª praia.

Ah, pois é, as praias mais conhecidas tem nomes bem simples. 1ª, 2ª, 3ª e 4ª!

  • 1 ª praia: logo na descida do morro, bem pequenina.
  • 2ª praia: a mais agitada, tanto de dia como à noite.
  • 3ª praia: concentra uma zona com pousadas um pouco mais caras e sossegadas.
  • 4ª praia: mais extensa e quase deserta, rende uma ótima caminhada para começar bem o dia.
Vista do Farol, da 1ª praia

Vista do Farol, da 1ª praia

A 4ª praia

A 4ª praia

Tiroleza do alto do farol, te arrisca? Lá embaixo 1ª, 2ª e 3ª praia

Tiroleza do alto do farol, te arrisca? Lá embaixo 1ª, 2ª e 3ª praia

Chega-se a Morro de São Paulo de barco ou avião (aqueles bem pequenos). Eu optei pelo barco saindo de Valença, que não passa por alto mar e tem um trajeto bem tranquilo, sendo a outra opção direto de Salvador pelo mar agitado.  Descendo de barco no trapiche chega-se direto na praça em cima do morro (que deve dar nome a ilha) onde estão algumas pousadas e restaurantes. Foi nessa praça que eu fiquei hospedada e me apaixonei por Morro.

A rede da varanda da pousada era um convite pra apreciar como vive aquela gente que mora isolada da confusão de uma grande cidade. As crianças vão e voltam da escola sozinhas e brincando por toda parte, já que não há carros por lá. À noite é possível escutar a música ao vivo de uns dos bares e tomar batidinhas de frutas que são combinadas formando um sabor indescritível.

A praça à noite

A praça à noite

Do outro lado da ilha, na praia da Gamboa, come-se uma deliciosa casquinha de siri nas barracas de beira de praia, mas é com muito siri e farofa. É lá o momento “eca” da ilha: banho de lama. Na verdade não é tão eca assim, o povo adora, só que eu perdi porque a maré tava muito alta.

O banho de lama acontece naquele paredão de argila

O banho de lama acontece naquele paredão de argila

Viagem de final de semana ou da vida toda

Já que o final de semana está aí pra gente sair da rotina, nada melhor do que sair de casa também né?

Foi pensando* nisso que semanas atrás, ao ver uma super promoção da Gol, comprei passagens pra Montevideo.

Hoje vamos eu e mais 8 pessoas conhecer lugares, pessoas, comidas e até sensações diferente. São 9 pessoas que dentre elas existem aquelas que se conhecem a vida toda, que se vêem todos os dias, que não se conhecem, que pouco se encontram, que são namorados, que são da mesma família, que é minha melhor amiga a vida toda, que são minhas melhores amigas** a menos tempo – mas que parecem ser da vida toda – e novas amigas também. Gente que já foi pra capital do Uruguai uma vez, várias vezes ou nunca foi, que gosta de ficar em albergue, que nunca ficou e até quem não tenha noção de como é!

Tem coisa melhor do que isso? São apenas dois dias fora de casa, mas que prometem ficar com a gente pra sempre.

* na verdade eu não preciso pensar nisso, isso tá dentro de mim o tempo todo!

** eu tenho bem mais de uma melhor amiga e sempre encontro espaço pra mais uma 😉

A cidade maravilhosa

O Rio de Janeiro há muito tempo é “atacado” pela grande maioria dos brasileiros, especialmente quando o tema é segurança/violência. Em relação a realização das Olimpíadas em 2016 na cidade, ou a pessoa apóia e elogia ou ela reclama e de quebra questiona como será resolvido o problema da segurança.

Há quem diga que o Rio até pode ser bonito e tranquilo pro rico e pro turista, que vê apenas uma pequena parte de costas pro morro e de frente pro mar. Isso não é contraditório sendo que quem mais ama e admira o Rio são as pessoas que vivem lá, os cariocas que estão espalhados por todos os lados, perto ou longe da praia?

Eu adoro o Rio, sou suspeita para falar, e vou defendê-lo especialmente se for numa comparação com São Paulo. Essa semana me deparei com um post muito bom, de um blog que acesso de vez em quando, o Viaje na Viagem. Clica aqui e não deixa de ler.