Uma caminhada para ser repetida muitas vezes

E essa é uma caminhada de quase 2 horas.

Eu garanto: vale muito a pena passar esse tempo subindo e descendo morro entra a Pinheira e a Guarda. Digo nessa ordem porque sempre fiz a caminhada começando pela Pinheira, na Praia de Cima, e terminando na Guarda.

Indo pelo canto direito da Praia de Cima tem uma trilha marcada no chão, a subida é leve e algumas árvores fazem sombra. Só que esse é só o começo e isso não vale pra todo o trajeto. Passa-se muito tempo sob o sol e o melhor é fazer o passeio logo no início da manhã ou já no meio da tarde.

Começando a subir o primeiro morro

Logo no início

Depois de dar tchau às praias de Baixo e de Cima, que antes da primeira descida de morro já sumiram, a natureza impera e só se escuta o som do mar e dos bichos até que… lá em baixo dá pra ver uma pequena praia com bar e tudo. A praia do Maço atrai não só aqueles que vão passar o dia, mas também vários corajosos que ficam acampados próximo ao bar, e é um excelente lugar para o primeiro mergulho do trajeto.

No caminho, subindo e descedo morro, não tem como evitar atolar o pé no barro. Em alguns lugares não existe trilha marcada e o melhor lugar nem sempre é seco, mas tanto faz ir de chinelo ou tênis. Só tome cuidado pois as “moradoras” da região deixam marcas pelo chão e não deve ser nada agradável pisar nelas.

Praia do maço

Companhias pra todo caminho e Floripa ao fundo

O segundo mergulho pode acontecer na Prainha, que nem é tão pequena assim, bem maior que a praia do Maço por sinal. Os surfistas adoram esta praia, já que tem bem menos gente no mar e fica bem protegida do vento. Quem costumar ir lá é o Paulo Zulu (as meninas procuram, mas quem sempre o encontra são os meninos que surfam). Daqui até a Guarda são só mais 30 minutos caminhando, só que ainda tem mais uma parada a se fazer.

A Prainha

O melhor de fazer a caminhada a partir do meio da tarde é que quando chega-se bem pertinho da Guarda, tá na hora do pôr do sol, motivo que vale parar e aproveitar. A vista de cima do último morro é imperdível. Dá pra ver os surfistas bem perto e o encontro do rio e do mar pelo ângulo contrário ao que se está acostumado.

Chegada perfeita no pôr do sol

Depois dessa parada ainda tem mais uma praia no caminho, a praia do Evori, mas que vai ficar pra um outro post, já que o sol já foi embora e não é tão seguro assim caminhar pelas trilhas à noite. 😉

ps. : na verdade a duração da caminhada pode ser menor do que eu escrevi no início, mas aí não daria tempo pra dar uns mergulhos, tirar fotos e curtir a paisagem e o pôr do sol como se deve.

Anúncios

Mais do mesmo

Meus 15 dias de férias foram dedicados a revisitar lugares. Claro que sempre com direito a novas experiências. Deliciosos momentos de praia, praia e praia. Vai de carro prum lado, volta, pega avião, carro de novo, volta!

Não é fácil viajar em alta temporada, acho que fazia uns 5 anos que eu não tirava férias nessa época e cada vez mais tenho certeza que a baixa temporada é infinitamente melhor, já que além de gastar menos, poupa um tempo precioso.

Bueno, os post contando como foram as viagens vão ficar para os próximos dias (ainda não baixei uma foto sequer). Já adianto aqui que vou escrever sobre estes lugares que gosto tanto (ordem totalmente aleatória):

    • SANTA CATARINA

    Pinheira
    Guarda do Embaú
    Florianópolis
    Praia do Rosa
    Gamboa

    • BAHIA

    Salvador
    Itacaré

    ps.: até me emocionei agora quando vi que tenho que criar a tag 2010… Que este seja um ano super supimpa e com muita viagem pra mim e pra você!!

      Guarda do Embaú

      O rio encontra o mar na Guarda do Embaú

      O rio encontra o mar na Guarda do Embaú

      Este post é completamente atemporal. A Guarda é minha velha companheira. Já fui pra lá pra fazer festa, curtir a praia, descansar, com a família, com os amigos, com o namorado e na última vez até o cachorro foi. Já aluguei casa, fiquei hospedada em pousada ou semi-muquifo, mas sempre gostei.

      Eu não tenho praia preferida em Santa Catarina, mas acho a Guarda a mais bonita. O rio, o mar, os morros, os barquinhos…

      É uma praia simples e diferente. Para chegar ao mar é preciso cruzar o rio da Madre de barco ou caminhando, o que em muitos casos acaba virando nado, já que algumas partes podem estar bem fundas. Os barquinhos são conduzidos pelos pescadores locais com uma vara de bambú e pela travessia eles cobram 2 reais por trecho por pessoa. Os barcos dão um colorido legal pra paisagem que mistura verde e azul do céu, do mar, do rio e da vegetação.

      As ondas na Guarda também atraem muita galera, é uma das melhores pro surf em SC. O astral da praia é o de quem gosta de onda. Cada um na sua, pousadas e casa pra todos os gostos e bolsos, barzinhos com música ao vivo e uma galera bem tranquila na beira da praia a fim de curtir muito um lugar maravilhoso.

      A travessia do rio da Madre

      A travessia do rio da Madre

      Os barquinhos que cruzam o rio

      Os barquinhos que cruzam o rio