O Jardim Chinês – parte 2

Yu Yuan se refere também a um bairro de compras que fica ao lado do jardim.

São prédios e mais prédios com a arquitetura tradicional chinesa, mas que não são nada antigos.

A região é mega ultra turística e foi aqui que me vi mais cercada de chineses. Em alguns lugares eu cheguei a ser levada pela multidão pra onde quer que eles quiseram ir.

Era feriado de ano novo e os símbolos do horóscopo chinês estavam por tudo. Aqui foi estranho ver os símbolos do horóscopo que estamos acostumados misturado ao deles.

Yu Yuan

Aquele prédioabacaxi se vê de toda cidade

Símbolos dos horóscopos pendurados

E o que se vende por aqui? De tudo, ou quase tudo…

Anúncios

O Jardim Chinês

Yu Yuan

Em relação a jardim oriental, o máximo que eu conhecia era o jardim japonês que vende em lojas de decoração.

Quando vi no guia a indicação do jardim Yu Yuan, marquei como ponto obrigatório em Shanghai.

No meio do inverno não se pode esperar um jardim cheio de flores e colorido. O ambiente é todo montando pra ficar bonito com árvores secas e as pedras ficam praticamente em destaque.

Mas o principal é a harmonia das construções. Pequenas, cheias de enfeites e por todos os cantos.

Fico pensando na real utilidade desses lugares, a pessoa, sei lá, o imperador, tinha muito lugar pra escolher pra sentar e pensar na vida.

Quero um assim pra mim…

:p

Algumas flores resistem ao frio

Essa foi a única neve que eu vi na viagem

Num dia nublado assim, ficou tudo da mesma cor

Me gusta!

Aqui saiu um pouco mais de cor

Os telhados tem outro tipo de adornos

Cada telhado tem uma escultura diferente

Que tal essa?

Aqui um gordinho simpático

E os velhinhos?

Simpático também, não?

Daqui não tenho making of, apenas fotos oficiais! hahahah

🙂

😉

Aqui não sou eu que tou fazendo pose

Andando um pouco mais em Shanghai

Shanghai também tem sua rua/calçadão cheia de gente, placas, luminosos e lojas. Quem sabe até mais de uma… Não se espera que eu tenha conhecido profundamente alguma mega cidade chinesa numa viagem de férias, né?

Junto ao (The) Bund começa a Nanjing Road, que em pleno fevereiro tinha uma decoração meio natalina.

Não sei se era por causa do clima menos gelado, mas a cidade tinha uma concentração maior de pessoas nas ruas do que em Beijing.

Nas fotos abaixo dá pra ver um pouco dos prédios antigos com estilo ocidental que tinha falado no post anterior e a mistura com os mais modernos.

Nanjing

Superpopulação?

Oliginal da China

É um prédio ou um big andaime?

Vai saber se tem um gato ali...

Ah, o 3º mundo… essa coisa de fio emaranhado é muito conhecida aqui no Brasil também.

Shanghai

É na cidade que fica o lugar que é um dos cartões postais mais famosos da China. O distrito financeiro de Shanghai, marcado pela torre de televisão, é uma das imagens que mais vem à mente quando pensamos na China ultramoderna.

Prédios com centenas de metros de altura estão um do lado do outro na beira do rio que cruza a cidade. Alguns tem até uma centena de andares e se enxerga de muito muito longe na cidade.

O melhor jeito de vê-los e fotografá-los é do outro lado do rio, numa área conhecida como The Bund, essa bem mais antiga e com prédios estilo europeu. Claro que alguém tinha que inventar alguma coisa e lá fomos nós fazer um “cruzeiro” pelo rio. Além de não passar frio, o bom é ver os prédios por diversos ângulos de uma maneira bem fácil e rápida .

Foto clássica de turista

A torre da TV

A beira do rio tem vários restaurantes

Que tal um prédio dourado?

O ângulo engana sobre as proporções

Agora sim dá pra ver

Detalhe do topo do prédio

Quantões milhões será que custa para morar aqui?

Na beira do rio do lado do distrito financeiro foram construídos restaurantes, várias redes de fast-food estão ali. Sabe-se lá porquê, fui até o outro lado, mas não até a beira do rio. Fotografar os prédios de baixo deles fica um pouco mais difícil.

Do outro lado

Não é so o lugar que é famoso, eu também sou. Minhas sessão de fotos teve direito a making of. Rá!

Making of - 1

Making of - 2

Se é frio na China?

Algumas horas depois de chegar em beijing

É muito frio! Eu nem tinha roupa pra sair na rua lá. Olha como eu tava vestida dentro de um bar aí em cima.

Depois do primeiro dia com um milhão de roupas em camadas, fomos às compras e arrematei uma meia calça, que era indispensável, e o casaco branco, que aparece em 95% das fotos na China. A meia calça eu nunca mais usei, esquenta muito, ela é de pelúcia por dentro e nem o inverno gaúcho me faz ter vontade de usá-la. Já o casaco, que é forrado com penas de ganso, usei umas 3 vezes aqui, uma em Cambará e outras 2 em Porto Alegre – aberto!

Sorriso forçado é pouco

Saber a temperatura naquelas bandas só olhando em algum site. Não tem termômetro pelas ruas. O único que encontrei foi esse aí embaixo, em Shanghai. Marcava quentíssimos 3 graus, já que a cidade é bem mais quente que Beijing (rá) e isso era logo depois do meio dia.

Em Beijing acho que só pegamos temperatura abaixo de zero, que com aquele ventinho minuano – hehehehe – e o fato de ficar noite pelas 5 da tarde, só fazia piorar a nossa situação.

O único termômetro que vi no país

Além de frio, o clima é seco, especialmente em Beijing. Essa combinação faz com que a gente leve choque em tudo. Ao abrir a porta do carro, tocar nas pessoas, entregar alguma coisa pra alguém… O cabelo que já fica ruim por causa da touca e da manta, que meio que passam a fazer parte do corpo junto com as luvas, fica cheio de nós – ar seco e vento dá nisso. A única parte boa é que ele fica bem liso. Ah e a pele… nem pense em não usar hidratante.

Quer mais? Sair sem um pacote de lencinho de papel é um desespero. Encha bolsos e a bolsa com eles. E se prepare, ao entrar em qualquer lugar, tu vai sentir muito calor. Tire o casaco e os acessórios já! heheheh

Mudando o visual

Preciso cortar o cabelo.

E aí que me deparei com essas fotos.

Será que me inspiro nas amigas chinesas?

Tou falando da moça de frente

Quem sabe um corte meio penico frisado?

HAHAHHAH Brincadeira, né? :-p