Jimbaran

Não estou falando da famosa balada de Xangri-lá e sim da praia. A praia que dá nome a essa festinha tá lá em Bali e com um agito bem diferente.

Pôr do sol mega iluminado

Pôr do sol mega iluminado

A praia oferece pouca infra-estutura pra quem pretende aproveitar o dia, é quente de mais, sem sombra e poucos lugares tem guarda-sol. O forte mesmo são os restaurantes que espalham as mesas na areia mesmo. O ponto alto de Jimbaran é o fim de tarde, quando a praia extensa e sem ondas recebe milhares de turistas que vão apreciar o pôr do sol no mar e ficam para um delicioso jantar à luz de velas. É uma combinação de clima aconchegante e comida boa. Claro que o programa não tem nada de exclusivo, são dezenas de restaurantes e milhares de pessoas, mas garanto que todos bem acomodados. Em cada restaurante uma programação diferente, de shows de dança a bandas que vão de mesa em mesa (atrações boas ou nem tanto).

Este programa pôr-do-sol-mais-janta está entre um dos clássicos de quem vai a Bali. Eu gostei e repeti 😉

As mesinhas onde depois o povo janta

As mesinhas onde depois o povo janta

Os barcos dos pescadores

Os barcos dos pescadores

De dia quem toma conta da praia são os pescadores e os barquinhos deixam a paisagem bem colorida. Ah, olhem a foto abaixo e vejam… o que é aquilo em meio aos barcos??

Tão vendo ali?

Tão vendo ali?

O aeroporto de Bali é bem ao lado de Jimbaran, e a pista foi construída para dentro do mar.

Essa imagem se repete muuuuitas vezes ao dia

Essa imagem se repete muuuuitas vezes ao dia

Anúncios

Oooops

Estranhos objetos no ar chamaram a atenção na beira da praia. Num mergulho delicioso um caiu na minha cabeça. Sério, quase me afoguei de tanto rir.

É isso mesmo que você está pensando!

É isso mesmo que você está pensando!

Onde foi isso? Na praia que falo no próximo post 😉

Comendo em Bali

Eu sou comilona :-D. E programa obrigatório em viagens é comer o que o povo de lá come ou nos oferece (mas nem tudo). Em Bali eu me dei muito bem.

Um dos pratos oficiais é arroz frito com frutos do mar e um ovo frito por cima, pode ser de massa também ou apenas com vegetais. Essa é de longe a comida mais popular e barata e qualquer warung tem. Sempre apimentado, mesmo que na hora de pedir a gente diga “no chilli” – não tem jeito! Depois de uns dias cansa e nem variar entre arroz e massa adianta, já que o tempero é sempre o mesmo.

A foto abaixo é de um autêntico Nasi Goreng (o arroz), que todo tapado pelo ovo fica com um visual estranho. A versão com massa é chamada de Mi Goreng.

Nasi Goreng

Nasi Goreng

Tradicional também é o maravilhoso barbecue de frutos do mar. Na maioria dos restaurante é possível escolher cada peixe, camarão e outras delícias que se quer comer. Depois de escolhido, o assador espalha tudo na grelha. A nós, resta comer até cansar com uma variedade de molhos que são oferecidos como acompanhamento.

Escolhendo os peixes

Escolhendo os peixes

Vai um camarão?

Vai um camarão?

Lagostas

Lagostas

As imagens acima são de um restaurante em Jimbaran. A vontade de comer era tanta que nem tirei foto do resultado final. Dias depois lembrei disso em Gili e tirei a foto abaixo.

Uma amostra do prato pronto

Uma amostra do prato pronto

Mas comer em Bali não precisa se restringir às comidas locais. Aproveitando que é um lugar super barato, a gente pode apostar em outras especialidades. Eu, que adoro uma comida japonesa, não podia deixar de provar um maravilhoso sashimi de peixes que a gente nem deve ter por aqui. Particularmente, eu só conhecia o atum, mas os outros estavam deliciosos também.

Delícia de sashimi

Delícia de sashimi

Ah, falando em preços, na beira da praia em Jimbaran, o barbecue, que tinha peixe, camarão gigante, lagosta e muita cerveja, saiu uns R$ 35,00 por pessoa. A janta japonesa com entrada, sushi e sashimi até cansar, sobremesa e cerveja, deu R$ 30,00. Já os tradicionais Mi Goreng e Nasi Goreng custam em média R$ 5,00.