China bem chinesinha parte 2

Sabe aquela rua cheia de luzes, onde não passam carros, circula muita gente, com mega televisões anunciando de tudo?

Claro que Beijing também tem e é super turístico.

Foi ali que fotografei os bichinhos comestíveis de uns posts atrás.

O lugar se chama Wangfujing, mas não sei ao certo se este é o nome da rua abaixo ou o do beco que vende as comidinhas.

Mesmo com o friozão que tava fazendo, tinha uma galera passeando. Por ali tem bastante restaurante e loja de artigos típicos.

Olha o grande M ali!

Sempre com o casaco branco

O KFC também tá ali

Anúncios

Lama Temple

Se é pra ser detalhado e colorido...

Lama Temple é o nome popular do templo budista Yonghe Temple. Como ir a China e não visitar um lugar destes? Claro que eu gostaria de ter ido àqueles nas montanhas, com budas gigantes, moldados nas pedras e tudo mais, mas este em Beijing impressiona muito.

Tem várias estátuas enormes, mas grande parte do que está dentro dos prédios não pode ser fotografado.

Sei muito pouco sobre os ritos budistas então o jeito foi copiar o que todo mundo fazia pra não perder a oportunidade de se energizar. Logo na entrada são vendidos incensos em maços e de diversos tamanhos. Com o seu na mão é só ir até a fogueira mais próxima para acendê-lo.

Queimando um maço de incenso

O leão, eu e meus incensos

Ô tia, não vale pegar do chão!

Andando mais um pouco tem esse pequeno monumento onde as pessoas jogam moedinhas – na foto acima. Na dúvida também joguei, mas nem sei se devia ter feito um pedido ou coisa do tipo.

Será que quem acerta o topo recebe algo melhor?

A rodinha já era minha conhecida. Tem um sentido certo para girá-la e se faz isso pra mandar pro mundo a mensagem que está escrita nela. Em geral contém palavras como paz, felicidade, amor…

Aqui eu sabia o que tava fazendo

O templo em sí é encantador. Se na Cidade Proibida eu já curti os detalhes, aqui é tudo mais exagerado e juntinho. O dia ensolarado e de céu azul deixa tudo mais vibrante. As bandeirolas que me esqueci de comprar (maninha, traz pra mim?) também são para transmitir boas energias através do vento.

Dentro de um dos salões

Olha quem tá ali!

Que dia!

Alguém sabe o significado da fila de bichinhos?

As bandeirolas

E esse telhado, hein?!

Eu de novo

Tudo junto

Cidade Proibida

Uma das atrações mais famosas da China foi o lugar escolhido para o primeiro passeio em Beijing. A antiga moradia dos imperadores, hoje transformada em museu, não poderia ser melhor lugar para ficar com uma boa impressão.

Muito do que se espera da China está ali. Construções ricas em detalhes, madeira talhada, pinturas coloridas e telhados graciosos.

Logo na entrada tudo muito colorido

Madeira e metal se misturam

Sequência de telhados na cidade

Será que algum imperador chegou a sentar nesse banco?

Esse casal leões está por tudo!

Adorei a "fila" nos telhados

Aqui tem um pouco de verde junto

Totalmente murada, era habitada pelo imperador, sua família e alguns criados. Para o restante dos mortais não era fácil chegar lá, dizem que grande parte do trajeto tinha que ser feito de joelhos.

Cada salão, palácio ou cômodo, tinha uma função específica. Hoje abrigam desde museu de atronomia até de vestuário ou estão montados conforme seu uso original, com trono e tudo mais.

Alguns palácios

Reformando...

Fui em 2008, uns 6 meses antes das Olimpíadas, e tinha muita coisa sendo reformada, como o palácio aí de cima que nem pude ver.

Estudar um pouco sobre o lugar antes de ir lá deveria ser obrigatório. Eu não fiz isso e meses depois acabei assitindo a um documentário na tv, o que me deixou com vontade de ir novamente.

Tchau por enquanto

ps.: quase todos os cliques aqui são da minha irmã Janaína, que continua em Beijing e jura que não nos levaria de novo pra comer tomate com açúcar. A gente ainda não tinha ido às compras, então não tinha nem casaco branco, nem máquina fotográfica 😉

Chinese Style

Passar frio nem pensar, né? Que que acharam do estilo dos guardas?

Não sei o que é pior, o casaco ou o chapéu

Agora de costas, todo mundo junto

Meu irmão curtiu

Falando em estilo, olha o que eu achei nas minhas fotos.

Poste estilo chinês

Mas o que estava em alta mesmo era o patriotismo. Viu as bandeirolas na foto acima? Elas estão em todo o topo do prédio da Assembléia Popular Nacional. Não dava pra colocar uma só?

Já vi!!!

Se é frio na China?

Algumas horas depois de chegar em beijing

É muito frio! Eu nem tinha roupa pra sair na rua lá. Olha como eu tava vestida dentro de um bar aí em cima.

Depois do primeiro dia com um milhão de roupas em camadas, fomos às compras e arrematei uma meia calça, que era indispensável, e o casaco branco, que aparece em 95% das fotos na China. A meia calça eu nunca mais usei, esquenta muito, ela é de pelúcia por dentro e nem o inverno gaúcho me faz ter vontade de usá-la. Já o casaco, que é forrado com penas de ganso, usei umas 3 vezes aqui, uma em Cambará e outras 2 em Porto Alegre – aberto!

Sorriso forçado é pouco

Saber a temperatura naquelas bandas só olhando em algum site. Não tem termômetro pelas ruas. O único que encontrei foi esse aí embaixo, em Shanghai. Marcava quentíssimos 3 graus, já que a cidade é bem mais quente que Beijing (rá) e isso era logo depois do meio dia.

Em Beijing acho que só pegamos temperatura abaixo de zero, que com aquele ventinho minuano – hehehehe – e o fato de ficar noite pelas 5 da tarde, só fazia piorar a nossa situação.

O único termômetro que vi no país

Além de frio, o clima é seco, especialmente em Beijing. Essa combinação faz com que a gente leve choque em tudo. Ao abrir a porta do carro, tocar nas pessoas, entregar alguma coisa pra alguém… O cabelo que já fica ruim por causa da touca e da manta, que meio que passam a fazer parte do corpo junto com as luvas, fica cheio de nós – ar seco e vento dá nisso. A única parte boa é que ele fica bem liso. Ah e a pele… nem pense em não usar hidratante.

Quer mais? Sair sem um pacote de lencinho de papel é um desespero. Encha bolsos e a bolsa com eles. E se prepare, ao entrar em qualquer lugar, tu vai sentir muito calor. Tire o casaco e os acessórios já! heheheh

Comendo em Beijing

Quem me conhece sabe que sou comilona, até já devo ter escrito isso aqui. E comida é parte grande do meu interesse em viagens. Quando tu vai a China as pessoas só sabem te perguntar sobre comer insetos.

Olha eles aí!!!! Te apetece?

Hummm bichinho da seda?

Cavalo marinho ou escorpião?

Uma lagartixa?

Ou um gafanhoto?

Pois é, até tem os bichinhos, mas só vi em lugares turísticos e só turistas comendo. Não vi nada dessas especiarias em restaurantes.

Por sinal, ver a comida é uma das coisas mais importantes na hora fazer o pedido em resturantes na China. Nem todos tem opção de cardápio em inglês e as figurinhas são fundamentais. Minha irmã, que já morava lá há alguns meses, não quis nem saber desse detalhe e sabendo ler algumas palavras foi lá e fez o pedido.

Na verdade a história foi um pouco pior. A gente estava confortável num táxi, se esquentando depois de caminhar a tarde toda na Cidade Proibida, morrendo de fome, loucos pra comer uma coisa quentinha. Então ela nos sugeriu jiaozi – que no Brasil a gente conhece mais a versão japonesa, o gyoza. Do nada ela olha pro lado, pede pro taxista parar e entra super animada num pé sujo. A gente nem perguntou nada, devia ser um lugar daqueles que só morador conhece. Quer saber o que a gente comeu?

Nham nham

Só sei que tinha pescoço de galinha no alho e aquela montanaha de tomate gelado com açúcar. As outras duas coisas que eu não identifico mais, eram ainda menos apetitosas.

Tem horas que só o McDonald’s salva.

Vai uma batatinha?

Mas calma! A verdade é que a comida na China é saborosa e os restaurantes bem agradáveis, em geral tem grandes mesas redondas – com o centro giratório que eu adorei – que aproxima as pessoas. A comida é muito farta e não se vive a base de massa e arroz chop suey.

Do ladinho da casa da minha irmã comemos num restaurante bem chinesinho, onde provamos um pouco de tudo. Arroz com legumes, camarão empanado e essas panquecas que tu mesmo monta com frango e outras coisinhas.

Montando uma panqueca

Naquele cesto estão os camarões

E já que estamos em Pequim (ou Beijing) não poderíamos deixar de comer Pato de Pequim, que também é conhecido como Pato Laqueado.

Delícia!!! Às vezes minha irmã acerta.

O pato

Vai um coração de pato?

No fim o pato também vira uma panqueca

Temple of Heaven

Eu nem sabia que o Templo do Céu existia. Nunca tinha visto sequer uma foto do lugar. Ainda bem que, em mais uma manhã fria em Pequim, eu e minha irmã acordamos cedo e fomos passear. Pra mim Pequim é uma cidade ensolarada e com céu muito azul. Pelo menos foi o que mais vi nos vários dias que fiquei lá.

Céu azul no Templo do Céu!

Nessas condições o Templo do Céu chama ainda mais atenção. A grande construção de cores vivas e muitos detalhes merece ser observada por muito tempo. Por sinal, o povo passa muito tempo lá em volta, porque não há apenas o templo para ser visitado. Funciona mais ou menos como um parque onde diversas pessoas vão lá praticar atividades como jogar “peteca” ou escrever no chão com pincéis molhados em água, algo bonito e diferente, que deve ser para treinar a escrita, mas que eu não registrei – muito menos tentei perguntar a alguém o motivo de estarem fazendo aquilo.

Mais de perto

Por dentro

O templo foi feito para a realização de cerimônias e rituais para os deuses. Uma pena eu não ter anotado o que li lá, junto do templo há um museu com a história desde sua construção, e agora não lembro mais dos detalhes. Mas lembro muito bem que o passeio valeu a pena, eu adorei o lugar.

Stairway to Heaven :-p

China bem chinesinha

A chegada a China foi em Pequim (ou Beijing) e a expectativa era enorme. Foi minha primeira viagem a outro continente e fui ver minha irmã depois de mais de 6 meses longe.

Em muita coisa a constatação era a mesma: a China é bem chinesinha! Preconceito não é nada bom, e espero não estar passando isso, mas ver que a cidade, mesmo gigante, tem muito do que eu imaginava, foi legal a cada nova descoberta.

Claro que isso não quer dizer que eu só vi o que eu estava esperando, nada disso. Vou tentar mostrar pelas fotos o que eu estou querendo dizer agora.

Lanternas vermelhas

Lanternas vermelhas

Estacionamento de bicicletas e telhados cheios de detalhes

Estacionamento de bicicletas e telhados cheios de detalhes

Muitos guindastes

Muitos guindastes

Muito dourado e combinações, digamos, bregas

Muito dourado e combinações, digamos, bregas

Pros próximos posts: coisas menos óbvias 😉