Só uma corridinha

Quem não lembra do Forest correndo pelos Estados Unidos???

Eis o trajeto do moço!

Foi só uma corridinha

3 anos, 2 meses, 14 dias e 16 horas 😉

Anúncios

Bubba Gump Shrimp CO.

Preciso escrever o nome do filme?

O restaurante temático de um dos filmes mais queridinhos dos americanos é encontrado em diversas cidades dos EUA, mas foi na própria Universal em LA que fomos conhecer e comer muito camarão! O nome vem da empresa de pesca de camarão que Forest abriu em homenagem ao grande amigo Bubba. Quem não lembra que ele sabia tudo sobre camarão e vivia falando sobre isso?

Pra acompanhar camarão de tudo que é tipo, nada melhor do que…

Chopp gelado!

Forest Gump e seus feitos são lembrados em diversos detalhes da decoração, no cardápio em forma de raquete de ping-pong e nas plaquinhas bem humoradas utilizadas para “se comunicar” com o garçom. Os graçons são mais uma atração. São figuras megaultrasimpáticas e fazem um quiz muito divertido sobre o filme, deixando tudo mais animado.

Assim o garçom não incomoda

Assim ele vem te atender

Mas não dá pra ficar só sentado na sua mesinha pedindo mais chopp e camarão, tem que dar uma circulada pelo bar pra relembrar o filme – e fazer compras na lojinha hehehe.

Muitos quadros na parede

Lembraças da vida do Forest

E um cantinho especial

Na foto do topo do post eu escondi os detalhes mais legais do banco. É sentado nele que o Forest vai contando sua história. No bar a gente pode dar uma olhada na mala dele e calçar os tênis desse personagem tão querido.

Eu não podia deixar de sentar também

Mairinha volta ao parquinho

Já que a Disney foi um sucesso, nada melhor do que ter mais um dia de criança! Los Angeles é a terra do cinema e lá fomos nós para o parque de um dos estúdios. Escolhemos a Universal, que foi a única que eu recebi indicação e acredito que seja a mais famosa, mas tem vários outros também.

Não podia falar o globo

Tudo gira em torno dos filmes e personagens famosos (claro). Os “brinquedos” são temáticos e com uma dose maior de adrenalina do que na Disney. O Jurassic Park tem uma surpresinha no final, A Múmia é um filme que não me atrai, mas o esqueminha lá é demais, tem um curta 4D do Shrek engraçadíssimo e a atração dos Simpsons é tão divertida quanto os desenhos. Diversão e tecnologia o tempo todo!

Além de diversas ruas temáticas e lojas de personagens, o tour pelos sets e cidades cenográficas é o morango do bolo (não curto cereja). Durante todo o trajeto é possível reconhecer carros, casas e paisagens de filmes. Além disso tem surpresas em todo o trajeto, deixando o passeio ainda mais animado.

Nas fotos abaixo dá pra ver algumas coisinhas, como carros do De Volta Para o Futura, o bairro de Desperate Housewives, uma enchente começando bem na tua frente e muito mais.

Santa Mônica

Santa Mônica

Venice Beach e Santa Mônica são continuação uma da outra (e vice-versa :-p). Pela fotinho aí de cima já dá pra perceber que alguns prédios altos estão ali, mas o que talvez não seja tão fácil de ver é a distância deles em relação à beira da praia, que não incomoda nem um pouco, muito menos aos brasileiros que estão acostumados com praias desfiguras devido ao grande número de prédios enormes na orla.

Praia com prédio significa mais movimento, não só na areia, mas nas ruas também. Para um passeio à noite, Santa Mônica foi a mais interessante que conheci na Califórnia. São várias opções de bares e restaurantes, além de alguns lugares – estilo shopping center a céu aberto – ótimos pra quem tá a fim de fazer compras.

Como não poderia ser diferente, tem um píer enorme, um dos mais famosos da Califórnia, e o que muda por aqui é que este tem um parque de diversões. Isso mesmo, um parque em cima do píer!

Mais um parquinho

Coragem colocar tudo isso num píer, não?

O que eu não fazia ideia, é que este píer é um marco para uma das rodovias mais famosas do mundo. Olha aí:

Pode ser o começo também?

Venice

Nem preciso dizer que LA não é a cidade mais legal do mundo, já que todo mundo vive esbravejando isso por blogs e sites afora. A cidade é gigante mesmo e é preciso andar bastante de carro, com engarrafamento quase todo tempo. Mas mesmo assim não vou deixar de dizer que suas praias são tão boas quanto outras na Califórnia.

Venice Beach por exemplo, tem tanto charme quanto Pacific Beach em San Diego, contando com todo aquele clima de aproveitar o sol e fazer esportes ao ar livre. O combo área livre pra caminhar, organização e pôr do sol no mar não tem como deixar um fim de tarde ruim, né?!

Mais um calçadão

Mais um pôr do sol

E mais um píer

Mais um show de fim de tarde

Venice foi a escolhida pra nossa estadia de 3 dias em LA e não veria problemas em repetir, já que é quase sempre necessário pegar autoestradas – as congestionadas que falei antes – pra ir pra qualquer lugar interessante fora do bairro onde estiver. Então que pelo menos a gente possa aproveitar um pouco do clima de praia todos os dias 😉

Caminhando no Grand Canyon

Sabe aquela paisagem que te faz perder a noção do tempo, que tu olha e não enjoa nunca?

Grand Canyon

Acho que já falei um pouco disso no post anterior, mas mesmo sendo repetitiva, não vou deixar de dizer o quanto o Grand Canyon me impressionou. É claro que eu sabia que era bonito, mas além disso achei meio mágisco, misterioso.

Cada vez vejo um detalhe diferente

As fendas são enormes!

Sentar nas rochas e olhar a paisagem já vale viagem, mas a gente também deve caminhar bastante pra aproveitar ao máximo o que o parque oferece. Existem diversas trilhas para descer as rochas imensas e a dica dada pela administração do parque é que para cada hora de descida se calcule duas para a subida, além de nunca tentar descer até a base dos cânions num único dia nem fazer caminhadas à noite.

Grand Canyon

Uma coisa que me deixou bem impressionada é como a gente chega facilmente nas bordinhas – e como as estradas passam perto do perigo também. Não tem cerca limitando passagem em nenhum lugar, fica tudo sob tua responsabilidade. Claro que existem alertas sobre os riscos, mas ninguém te impede de botar o pé em lugar algum.

A trilha que fiz é bem tranquila, embora com bastante cascalho solto, o que a deixa escorregadia. No início a descida é feita por uma estradinha cheia de curvas bem fácil mesmo, mas depois disso começa a ficar mais roots. Com a quantidade de vezes que paramos pra tirar fotos e olhar a paisagem de diferentes ângulos, a subida teve quase o mesmo tempo que a descida, mas precisei parar e me sentar à sombra pra tomar água e recuperar o fôlego – ah, a falta de preparo físico, né?!

Meu tênis não era muito apropriado pra descer no cascalho

Aqui dá pra tentar entender o caminho